Salário do Prático

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Salário do Prático

Mensagem  Diego Souza em Dom Abr 15, 2012 11:03 am

Outra coisa que todo mundo quer saber, eu também, qual é o salário do prático por ZP.

- Todos os práticos de uma mesma ZP recebem o mesmo salário?
- O salário do prático é sazonal? ou seja, há meses que pagam mais e outros menos?
- Se os práticos são pessoas jurídicas, como fica o pagamento do IR no que trata a declaração de (ganhos menos despesas de trabalho)?

Diego Souza
Admin

Mensagens: 32
Data de inscrição: 01/04/2012

Ver perfil do usuário http://praticante.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salário do Prático

Mensagem  carlos lemos em Dom Abr 22, 2012 10:24 pm

Caro Diego,boa noite!

É muito dificil quem não é prático falar de salário de prático com quem não é prático,porém tenho inumeros colegas de turma que são praticos e estudo para a praticagem a 5 anos ,portanto conheço um pouco.

Existe um erro muito grande em pensar que os práticos ganham muito ,isso é errado, o saário do prático é do exato tamanho da sua habilidade e do seu sacrificio no exercicio do seu trabalho.

Das 22 ZP existentes mais de 50% não contribuem com o CONAPRA porque não possui faturamento suficiente ,então restam 11 ZP que podemos dividir em ZP com bom faturamento e ZP com medio faturamento

As ZP com bom faturamento são: Rio,Santos,Paranaguá,Maranhão,Vitoria Zp com medio faturamento : Salvador,Suape,Rio grande,Macapá,Itajaí,São Francisco,Belém

Acredito que no futuro e com a frequencia de concursos a cada 2 ou 3 anos todas as ZP boas e médias fiquem com um valor de retirada para cada prático em torno de 50,000,00 (cinquenta mil) ,que para um pais pobre como um nosso pode soar como um salario excepcional ,porém para um profissional autonomo como o prático ,que tem que guardar para ter uma aposentadoria no futuro ,não é nada de outro mundo.

Trabalho em uma empresa privada chamada Noble Denton ,sou Rig Move ,manobro plataformas de Petroleo Semi-submesiveis e Jack up ,como também executo reboque tenho contato com OIM,Comandantes de plataforma Comandantes de rebocadores ahts ,navio de lançamento de linha e navios sonda , brasileiros e gringos ,salarios na casa de 45.000 mil reais com todos os beneficios(que deve ser acrescido 110% com os beneficios),ou 50.000 mil dólares (se o contrato for estrangeiro,door to door)são comuns ,então podemos concluir que os pratico não ganham tanto como se fala.

Um prático em Natal ganha 10.000 dez mil reais ,conheço candidatos(Oficial de nautica) que desistiram de lá,porque como DP Senior podem ganhar o dobro com beneficios.

Existe muita lenda com respeito aos salarios dos Práticos ,no passado quando ficou um periodo longo sem concurso e o movimento dos portos cresceu muito e o número de praticos ficou diminuido ,algumas ZP os praticos ganhavam realmente muito ,porém com o sacrificio da própria vida.

Em uma ZP com muito movimento você pode ganhar muito ,tirar a manobra dos colegas ficar dia e noite a bordo manobrando,realmente você vai ganhar muito,porem vai perder a mulher ,os filhos irão de odiar e até o cachorro não vai conhecer você mais quando chegar em casa.

Não quero julgar ninguem porém vejo um movimento grande de profissionais saindo da Receita Federal para ir para a praticagem ,isso somente vale a pena para algumas praticagens, na sua grande maioria vai dar empate ,considerando todos os beneficios que um auditor fiscal tem ,principalmente a aposentadoria com o ultimo salario.

Um pratico somente goza da aposentadoria depois dos 70 anos ,isso se ele guardar durante a vida.

Existe sazonalidade sim,em algumas epocas ,existe um fluxo maior de navios ,nas safras de soja açucar, etc nessa epoca o pratico ganha mais porque existe um movimento maior de navios.

A profissão de Prático é arriscada .desgastande,perigosa,tudo isso tem que ser considerado na hora da escolha.

Um abraço.

Carlos Lemos

carlos lemos

Mensagens: 5
Data de inscrição: 07/04/2012
Idade: 51
Localização: rio de janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salário do Prático

Mensagem  Coringa em Sab Abr 28, 2012 5:24 pm

Acho que o Carlos se precipitou um pouco no Post ou está tentanto desanimar futuros canditados.

Primeiro: Salvador e Amapa não são zonas médias.Tenho amigos nas duas zonas,Prático lá ganha muito bem.Muito acima de r$50mil.

Segundo:, que basta fazer um previdencia privada e o futuro está tranquilo.Não tem muito mistério em relação a isso.

Terceiro:A Zonas de Praticagem só abrem vaga, quando há aposentadoria, falecimento ou o movimento no porto aumenta muito. Ninguém vai lotar uma ZP sem necessidade.Portanto, não vejo como o salário do Prático diminuir, pois se o nº de Práticos aumenta o movimento aumenta tb.

E os salário são grandes sim.QUem conhece gente que é Pràtico sabe disso.Não é lenda

Coringa

Mensagens: 4
Data de inscrição: 28/04/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salário do Prático

Mensagem  lamartine em Dom Abr 29, 2012 2:56 pm

Coringa escreveu:Acho que o Carlos se precipitou um pouco no Post ou está tentanto desanimar futuros canditados.

Primeiro: Salvador e Amapa não são zonas médias.Tenho amigos nas duas zonas,Prático lá ganha muito bem.Muito acima de r$50mil.

Segundo:, que basta fazer um previdencia privada e o futuro está tranquilo.Não tem muito mistério em relação a isso.

Terceiro:A Zonas de Praticagem só abrem vaga, quando há aposentadoria, falecimento ou o movimento no porto aumenta muito. Ninguém vai lotar uma ZP sem necessidade.Portanto, não vejo como o salário do Prático diminuir, pois se o nº de Práticos aumenta o movimento aumenta tb.

E os salário são grandes sim.QUem conhece gente que é Pràtico sabe disso.Não é lenda

Concordo com você, Coringa. Conheço alguns práticos de Belém e Amapá. E pelas informações repassadas, não existe prático que ganha pouco. Todos têm uma excelente qualidade de vida, independente da ZP que atue.
O repasse do dinheiro não é individual, e sim por igual, onde quem administra a soma de tudo, é um grupo, que depois repassa igualitariamente o valor.
Funciona como uma caixinha de garçons, na qual todas as gorjetas do dia são depositadas ali, e ao final do expediente, se divide entre os que trabalharam. E há uma escala de serviço, dento de cada grupo, para que todos trabalhem e folguem o mesmo número de dias.
Ao menos essas foram as informações que eles me repassaram, e não vejo motivo para ser diferente.

lamartine

Mensagens: 1
Data de inscrição: 29/04/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salário do Prático

Mensagem  hensen em Qua Maio 16, 2012 8:26 am

Coringa escreveu:Acho que o Carlos se precipitou um pouco no Post ou está tentanto desanimar futuros canditados.

Primeiro: Salvador e Amapa não são zonas médias.Tenho amigos nas duas zonas,Prático lá ganha muito bem.Muito acima de r$50mil.

Segundo:, que basta fazer um previdencia privada e o futuro está tranquilo.Não tem muito mistério em relação a isso.

Terceiro:A Zonas de Praticagem só abrem vaga, quando há aposentadoria, falecimento ou o movimento no porto aumenta muito. Ninguém vai lotar uma ZP sem necessidade.Portanto, não vejo como o salário do Prático diminuir, pois se o nº de Práticos aumenta o movimento aumenta tb.

E os salário são grandes sim.QUem conhece gente que é Pràtico sabe disso.Não é lenda

Conocordo com o coringa

1 - em várias zp's o salário nã é isso tudo
2 - mesmo se fosse, condiria com a realidade e risco dos serviços de praticagem
3 - A maioria que comenta os altos salários é concurseiro de plantão, que nunca pisou em um navio (com todo o respeito, mas é a realidade)
4 -não é só estudar, tem q ter jeito para a coisa
abs

hensen

Mensagens: 1
Data de inscrição: 16/05/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salário do Prático

Mensagem  Jaime Pilot em Sab Out 13, 2012 4:25 am

Vamos acordar galera. Só porque os caras ganham bem isso não significa que está trazendo prejuízo ao pais. Os altos salários atraem concurseiros, isso é verdade, mas só tem medo de concurseiro quem não estuda. Vamos estudar galera e que vença o melhor hehehe...
As declarações de que os preços cobrados seriam elevados é inverídica.
Primeiro, porque são acordados com os próprios tomadores do serviço.
Segundo, porque recentemente a empresa de consultoria marítima Saraceni Energia & Logística, analisou o preço do serviço de praticagem em Santos em confronto com outros 22 portos no exterior, condizentes com a corrente de comércio exterior brasileira por via marítima, para verificar a sua adequação aos valores em nível mundial, tendo constatado que ele se encontra exatamente na média competitiva internacional.
De acordo com estudos da armadora francesa CMA-CGM e da Saraceni Energia & Logística, é possível estabelecer que:
- os custos logísticos internos do Exportador (custo para levar a carga até o porto) totalizam, em média, R$ 3.422,00 por contêiner;
- o agenciamento e movimentação de carga no porto teriam o valor médio de R$ 550,00 por contêiner;
- o custo de movimentação do navio (entrada e saída do porto) seria de R$ 28,00 por contêiner (a praticagem está incluída neste valor, representando R$12,00 por contêiner); e
- o frete marítimo para Houston está em torno de R$ 12.367,10 por contêiner.
Dessa forma, o custo total do exportador seria de R$ 16.367,10 por contêiner.
Assim, fica fácil verificar que a praticagem (R$12,00) representa apenas 0,07% do custo total do exportador (R$16.367,10).
Importante ressaltar que não foi considerado um outro grupo eventual de custos para o exportador, a sobrestadia (demurrage), que advém de atrasos no embarque ou desembarque da carga. Para uma idéia, os exportadores brasileiros de produtos agrícolas pagaram, em 2006, US$ 1,5 bilhão em sobrestadias (demurrages), geralmente para empresas estrangeiras.
Não é possível compreender o nível de preocupação que estaria sendo demonstrado com um item que corresponde a 0,07% do custo de exportação por contêiner. Principalmente porque, tendo em vista a natureza do mercado de fretes marítimos, uma transferência efetiva ao exportador, via redução do custo do frete é, no mínimo, duvidosa.
O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) já registrava, em seu Relatório Anual de 1997, que eventuais reduções no preço do serviço de praticagem poderiam ter efeitos pequenos, diante da possibilidade dessas reduções de preço serem absorvidas apenas pelas empresas de navegação.
A comprovação deste vaticínio pôde ser observada quase imediatamente.
Ainda em 1997, a Autoridade Marítima alterou a formatação do serviço e as praticagens deixaram de ser cooperativas e passaram à condição de sociedades uniprofissionais. As remunerações antes existentes, com os encargos e variáveis de ordem trabalhista que lhes eram peculiares, foram transformadas em preços.
A mudança reduziu as despesas dos armadores com a praticagem em cerca de 28%. Não houve, entretanto, qualquer redução nos valores dos fretes.
Esta postura de não repassar eventuais economias é confirmada pelos próprios armadores, conforme demonstra recente declaração do Vice-Presidente do SYNDARMA, na revista Portos e Navios, edição 572, em setembro de 2008, sobre a queda de preço dos combustíveis: "Para Galli, a medida vai trazer um pequeno alívio para as empresas de navegação", mas ressalta que esse "alívio" não vai necessariamente provocar uma mudança no preço dos fretes. "Quando acontece uma alteração no custo, isso não quer dizer que, na mesma hora, essa alteração tenha que ser repassada no preço. O preço para o cliente tem mais a ver com o exercido no mercado, afirma".
Em última análise, qualquer redução no preço da praticagem não traria qualquer diferença para os custos do exportador ou importador, mas apenas elevaria o lucro do armador. E, diga-se de passagem, de armadores estrangeiros, pois as principais empresas brasileiras de navegação já são de propriedade de mega-transportadoras internacionais (Libra da CSAV; Aliança da Hamburg Sud; Flumar da Oldfjell; Mercosul Line da Maersk; etc).
Como efeito colateral, lembrando que, no caso de armadores estrangeiros, a praticagem representa exportação de serviços e ingresso de divisas, reduzir o seu preço para valores abaixo da média mundial gera prejuízo ao Balanço de Pagamentos do país.

Jaime Pilot

Mensagens: 2
Data de inscrição: 13/10/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Quem paga o prático?

Mensagem  Lívia Salles Klaimberg em Sex Out 19, 2012 9:44 am

Li as mensagens dos fóruns mas não consegui compreender QUEM efetivamente faz o pagamento aos práticos. Entendi que trabalham como se fossem AUTÔNOMOS (corrijam-me se estiver errada), não são funcionários de uma determinada empresa. Tb entendi que a distribuição de quanto recebe cada um depende do trabalho que realizaram naquele dia. Mas deve ter uma empresa controladora disso tudo, não tem? Esta empresa tb é de acordo com a região ou é centralizada em um único órgão. Como se faz esses controles? Tenho a impressão de que é tudo muito vago...

[]s

Lívia

Lívia Salles Klaimberg

Mensagens: 2
Data de inscrição: 19/10/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Salário do Prático

Mensagem  DanielSam em Seg Out 22, 2012 7:42 pm

a organizacao se dá de acordo com a Normam 12. da uma lida lá. basicamente: os praticos formam empresas ou associaçoes entre eles mesmos, em um dado porto(ZP).

E ja existem mulheres exercendoa profissao no Brasil, desde 2008, acho.

DanielSam

Mensagens: 3
Data de inscrição: 09/07/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Profissão atraente

Mensagem  auditor em Qui Fev 14, 2013 5:10 pm

Concordo inteiramente com o comentário do coringa. Sou arquiteto e auditor da Receita Federal do Brasil desde 2006. Pelo que pude perceber pelos comentários acima é muitíssimo mais vantajosa a remuneração de um prático em relação a outras categorias do serviço público, inclusive as carreiras jurídicas, com excessão talvez da carreira notarial e cartorária. Embora os atuais servidores públicos ainda contem com a possibilidade de uma aposentadoria relativamente atraente (mesmo com perdas da integralidade e da paridade - emendas constitucionais 19, 41 e 47), em nada se compara à realidade da praticagem, uma vez que se pode aderir a bons fundos previdenciários complementares, garantindo assim uma elevada renda em momento posterior, ainda que contribuindo durante um período mais curto. Outra vantagem é não estar sujeito à aposentadoria compulsória do serviço público. Lembrando ainda que os novos servidores serão obrigados a aderir ao FUNPRESP, perdendo portanto esta "vantagem". Neste contexto (e entusiasmado por inúmeros comentários aqui postados), assim como outros colegas (não apenas da RFB), este mês iniciei meus estudos sobre os temas da patricagem. Não sei se por ser praticante de vôo livre, até agora, tenho achado o material bastante interessante e entusiasmante, algo bastante específico, mas muito bacana. Infelizmente não pude participar do atual concurso. Espero que seja mantida a condição vigente da profissão de prático. Quem sabe daqui a dois ou três anos poderei estar disputando uma vaga em alguma ZP Brasil afora, da mesma forma que inúmeros dos membros aqui presentes. Bons estudos a todos.

auditor

Mensagens: 1
Data de inscrição: 13/02/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum